10 de ago de 2009

Sempre ouvi falar que existia um lugar onde as pessoas poderiam ser elas mesmas sem se preocupar com o que os outros diriam, até porque, ninguém diria nada.

Me disseram que era uma festa meio doida, cheia de gente esquisita e fazendo as mais engraçadas bizarrices.

Eu, como boa curiosa, resolvi ir e verificar qual era desses doidos... Putz, eu fui e gostei muito!!!

Era uma coisa chamada rave.

Fui em uma, duas, três... Nem sei mais em quantas e o pessoal sempre dizia a mesma coisa: "sente a vibe, curte o som", mas não tinha certeza se eu sabia curtir isso ou se já conhecia essa tal de vibe.

Gostava do som sim, aquela batida pesada sincronizando com as batidas no meu coração, o sol pela manhã aquecendo os que tinham frio e iluminando os felizes, a galera pulando feito doido, uns fritando e tudo mais... Mas essa tal de vibe parecia que não queria me conhecer... Nunca sentia ela, nem via, nem ouvia...

Até que meus problemas acabaram! Conheci a vibe!


É aquele estado de espírito, uma alegria incontida que não cabe dentro de si fazendo com que tudo à nossa volta seja maravilhoso. É aquela sensação de bem estar, de não se sentir sozinho no meio de muitas mil pessoas, mesmo você não conhecedo ninguém.
É onde o preconceito não entra, não há cor, classe social ou opção sexual; os problemas ficam para trás enquanto a batida da música sincroniza com a batida do coração, ou vice-versa, todos unidos por um único motivo: a vibe.

Não importa quem você é, o que você faz, se seu estilo é da modinha ou não. Não importa se você está limpo, se está molhado, se está pulando ou dormindo, você é livre para ser quem você quiser que ninguém vai rir ou te julgar. Nesse momento somos todos livres. Livres dos problemas, das preocupações, das ironias, das cantadas falidas, dos chatos que querem te colocar para baixo...




Nenhum comentário: