23 de fev de 2010

Sinto um novo sabor, ainda doce, lógico!
O gosto da recipro- cidade que tira o amargo do qual me alimentei por alguns meses.

Após um final de semana turístico, conhecendo museus e perambulando pelos pubs de Dublin, eu poderia até ter a pretensão de dizer que sou capaz de escrever um livro.
Eu poderia escrever citando algumas das melhores qualidades que alguém pode ter, usando exemplos reais vivenciados por mim.
Poderia descrever cada reconhecimento de gestos e ações, e de como me apaixono por eles pelo menos uma vez por dia.

Tenho mais de 100 itens qualificados que um certo ser foi me mostrando ao longo dos anos.
Isso levando em conta onde tudo começou, o cartaz com seu nome alguns anos atrás, lá por volta dos anos dourados de pura festa, literatura e vinho barato; quando resolvemos pegar o mesmo ônibus rumo à um caminho que não sabíamos, mas que não teria mais volta: a amizade.

Não querendo fazer muita propaganda e não ousando em dizer que ele se supera (e me surpreende) a cada minuto, somos alvos de inveja.
O que o tempo uniu a distância não conseguiu separar. Essa distância se faz presente no dia a dia, mas ausente em nossos sentimentos.
Os sentimentos são sempre à flor da pele; conselhos de irmão, xingão de pai... Proteção de um anjo.

19 de fev de 2010

Pra quem leu um post anterior, Dublin terá por 4 dias apenas 14 pecados mortais...







Mexi está aqui vivenciando o mundo irlandes


15 de fev de 2010

Somos todos frutos; não da imaginação alheia, mas frutos do topo das árvores. Difíceis, porém não impossíveis. Acessíveis aos apreciadores, merecidos aos vencedores.
A tática de se vestir de baranga já não funciona mais, revertendo o desencanto em fruta rara.
O jeans batido, camiseta básica e óculos são atributos simples que proporcionam acontecimento de fato onde já não somos mais analisados pela casca bonita e colorida, mas sim pelo interior sadio e sem agrotóxicos.
Essa é a verdadeira essência. O que está por fora é casca e casca a gente joga fora antes de aproveitar as frutas.



9 de fev de 2010

não quero semear a discórdia, mas um chocolate em dia de dieta é a melhor coisa

7 de fev de 2010

Dublin tem 15 pecados mortais:


1) Não tem minha mãe.
Não tem a pessoa que mais amo no mundo, que me dá colo, que cuida de mim, que me faz suco de laranja espremido na hora e que me dá conselhos sábios.
Ela briga comigo, mas sei que todas as vezes foi para o meu bem.
Não tem ela me pedindo dicas de moda ou para maquiá-la antes de algum evento importante.
Não tem ela pra me fazer feijão, ou para deixar os canudinhos prontos na geladeira me esperando após o trabalho.
Não tem ela pra me cuidar quando estou doente, nem para me cuidar quando estou bem, sempre me perguntando "vai sair de novo???"
Tão chato sair e não dizer "mãe, te ligo pra avisar onde estou"



2) Não tem a Amália, a melhor amiga.
Não tem ela para ouvir e me aconselhar; muito menos para tomar um café em final de tarde.
Não tem ela pra dançar comigo na balada nem para comer bisnaguinha com patê de madrugada.
Não tenho ela para gastar toda a bateria do meu celular e do dela conversando horas a fio...
Não tenho ela pra sentar no copão e assistir aos jogos.




3) Não tem o Dudi pra me alegrar quando estou triste, nem para me fazer rir mais ainda quando estou feliz.
Não tem ele para tomar um chima na redenção e ver o que Porto Alegre nos proporciona de melhor.
Não tenho ele para treinar malabares nem para fazer torrada quando ele está de ressaca.
Não tenho seu abraço despretencioso nem o carinho diário...
Não tenho na Europa, meu "europeu" preferido.



4) Não tem G pra passar as tardes de inverno comigo comendo, tirando foto e falando a vida alheia. Dando risada do Márcio e assistindo videos toscos no youtube.
Não tem ele para marcar milhões de raves comigo e não ir em nenhuma e não tem ele me dizendo "to triste" me pedindo colo.
Não tem ele pra eu ver como é bom ter um amigo assim, carinhoso...



5) Não tem o Marcinho pra me divertir e arrumar meu cabelo.
Não tem ele pra eu pegar o babyliss emprestado e pra dançar comigo em qualquer lugar, mesmo não tendo música.
Não tem ele para eu xingar por não responder meus sms porque não tem crédito e não tem ele pra tirar as fotos mais legais comigo.
Não tem ele pra me emprestar o gloss!!!


6) Não tem a Rê pra virar noites e noites tomando cerveja, assistindo video e comendo xis... Não tem ela para me chamar de "Cristiane" e pra ir comigo às compras.

Não tem ela pra dividir todas as alegrias e tristezas, não tem ela pra fazer salada de palmitoe após a salada, um cachorro-quente, quem sabe.

Não tem ela pra me ajudar com as malas, nem para me dar apoio nas decisões difícies.


7) Não tem a Luci para eu incomodar chamando de "Luci Maria" e para ela me incomodar "essa foto tá feia". Não tem ela para fazer lasanha de chocolate ou me levar num café caro e ainda dar risada da minha cara achando que eu ia pagar 2 reais.

Não tem ela pra marcar e desmarcar comigo e me incomodar fazendo aquela cara de "faça-me o favor né"

Não tem ela pra eu incomodar dizendo que ela dica mais bonita morena e e queela precisa sair mais comigo.

8) Não tem o Mexi pra eu me preocupar. Não tem ele pra sumir e eu xingar ele por ter me abandonado. Não tem ele pra ir tomar uma ceva e filosofar sobre a vida e reclamar dos amigos que se afastaram.

Não tem ele pra dividir pizza de lombo com abacaxi, nem para almoçar correndo só pra dar um abraço, tomar um cafézinho no centro só pra dizer que não me viu naquele mês, ir no Chalé e tomar chocolate quente em solidariedade a mim...

9) Não tem o Max, meu negão preferido que colocava cor aos meus dias.

Não tem ele pra me xingar quando fazia alguma besteira ou quando eu estava saido demais. Não tem ele pra cuidar o tamanho da minha saia e dizer que desse jeito não dá.

Não tem ele pra comer um xis na Paulinha, não tem ele pra me pometer um pagode e nunca me levar, nem para me incomodar quando tem jogo.

Não tem ele pra pegar o bus comigo nem pra me dar dicas de óculos.

10) Não tem a Deise, carinhosa e delicada, literalmente uma Binekinha.

Não tem ela pra fazer polainas, nem para consertar blusas, nem para fazer as melhores festinhas.

Não tem ela para roubar os docinhos em festa e subir na cadeira pra tirar foto


11) Não tenho o Lê pra me dar uma carona, pra ir na minha casa compartilhar um chimarrão e estudar junto quando os dois já não tinham mais esperançcas;

Não tem ele pra voar as tranças de moto comigo nem para ligar lá pra casa chamando de mocréia.

Não tem ele pra me falar as verdades sobre os homens e que mesmo eles não prestado, adoraaaaaaaaaaaa


12) Não tenho a sol que me iluminava. Não tenho quem me dê dicas de moda e que me ligue para ficar horas contando o dia.
Nçao tenho ela pra me ensinar dicas de beleza e para ir num pagodinho.
Não tenho ela pra fazer as unhas a tarde, nem pra me fazer gastar o finheiro que eu nao tinha...


13) Não tenho a timidez e docilidade do Fão. Não tenho o seu carinho, seuas longas historias e sua paciência para me ouvir.
Não o tenho para passar as tardes de desempregado tomando chimarrão e contando peripécias do passado.
Não tenho ele pra chamar de lindo e deixar ele vermelho.


14) Não tenho o carinho e a sensatez da Lu. Não tenho ela por perto para dar bons conselhos, boas risadas e tomar uma cervejinha com lasanha congelada...
Não tenho ela para ligar e ser ignorada, nem ela pra reclamar depois "ai, mas tu não me liga"
Não a tenho para tomar cerveja e comer lasanha congelada em dias de chuva...


15) Não tem o Bi pra me incomodar as 7 da manhã com seus sms de bom dia, nem ele pra ir tomar o chá das cinco comigo.
Não tem ele pra marcar festa na casa alheia e convidar todo mundo, nem ele pra me dizer "que que é heim, me deixa"
Não tem ele pra ir nas festas e ficar loca com guaraná nem ele pra ficar procurando comunidades idiotas no orkut...



Por causa disso e tudo de bom que cada um me proporcionava, por carinho e dedicação de todos, pelas histórias de amizade e cumplicidade é que aqui não é perfeito.
Faltam os meus anjos, meus amigos!

4 de fev de 2010


Ontem foi mais um dia em que parei para pensar em números, aqueles benditos números que nos distanciam.
Penso na singularidade desses diminuindo a cada dia, um cronômetro perturbando minha mente e deixando a sensação de vazio cada vez maior.
Hoje é dia de falar o que você não precisa “ouvir”.
Me encanta o fato de que esse coração é grande, que tem vontade de acertar, que tem um sorriso sincero...
O cara lá de cima nos proporcionou viver anos em meses, por termos nos encontrado com uma bagagem já um pouco pesada e podermos ajudar um ao outro a carregar essas malas.
O pedido de amizade eterna já está consagrado como tomar banho, todos os dias e pra sempre.
Pedido burro e inseguro, basta sentir pra ter certeza que é verdadeiro.