28 de out de 2009

O país de primeiro mundo tem muitas deficiências de terceiro, ou de quarto até!
Uma coisa que não tem (não sei até que ponto é bom, até que ponto é ruim) são as sacolas plástica no mercado. Usa-se sacolas retornáveis ou cada um se vira como pode.
No meu caso, como moro longe, carrego tudo na mochila mesmo.
Óbvio que nem tudo cabe na mochila e é muito comum ver pessoas com um pacote de pão debaixo do braço, ou um litro de leite e tal...
Dias atrás, estava eu e a Dani voltando para casa carregada de compras quando um guri ficou me encarando e olhando fixamente pra baixo. Embora ele fosse menor que eu, fiquei com medo; vá que fosse um nacker (aqueles que não gostam de estrangeiros)...
Pois bem, segundos depois percebi o porque ele me olhava tanto: estava de olho na enorme caixa de sucrilhos que eu tinha nas mãos...

27 de out de 2009

Faz 26 anos que eu ouço a frase "o mundo é muito pequeno"... Ah que bobagem, como ser pequeno? Olha o tamanho dessa coisa, quantidade de pessoas e coisas, e terras e mares.
Pois bem, hoje eu comprovei que o mundo é realmente pequeno, do tamanho de uma ervilha: encontrei um ex colega de segundo grau andando pelas ruas de Dublin!
Sim!!!!!!!!!! Muito por acaso... Nem eu, nem ele sabíamos um do outro, talvez nem lembrássemos um do outro...
Mas enfim, mundo pequeno... Não há como se esconder rsrsrs

25 de out de 2009

Às vezes me sinto um pouco inibida para falar inglês, medo talvez de falar bobagem...
Mas ontem aconteceu algo um tanto quanto engraçado. Tá, na hora não foi engraçado, mas agora pensando bem, foi maravilhoso!
Eu tinha uma entrevista de emprego e saí bem cedo de casa, para caso me perdesse... Adivinha o que aconteceu: BINGO! Me perdi rsrsrs
Andei por mais ou menos 1h por Dublin pedindo informações para as mais variadas pessoas e pra minha alegria, fui muito bem compreendida e compreendi todos!
Os diferentes sotaques são um saco de entender, mas consegui me virar e na entrevista eram 7 brasileiros... pqp!!!
Eu tive que traduzir pra eles as informações da entrevistadora, porque eles estavam meio perdidos.
Sinto que estou melhorando :)
Bem, uma das cosias que mais sinto falta aqui é meu computador...
Meus três últimos meses eu fiquei conectada com o mundo e agora entre correndo para dar notícias...
De resto, tudo na paz!

19 de out de 2009


isso dispensa palavras
hoje falamos sobre sonhos na aula
por que sonhamos, o que acontece e bla bla bla
lembrei de quando eu sonhava acordada em estar aqui
cheguei, e agora o que eu faço?

17 de out de 2009

Conheço muita gente que diz (e confesso que eu mesma dizia) "não quero saber de brasileiro na europa"... Pois bem, aprendi em 18 dias que não adianta, é praticamente impossível não ter amigos brasileiros, não ter colegas brasileiros, não morar com brasileiros e tudo mais.
Brasileiros são como uma praga que se prolifera em questão de minutos!!!
É ruim para aprender inglês, mas são os únicos que te ajudam para qualquer coisa, que fazem tu te sentir "em casa" e que num momento de desespero eles entendem o que tu ta passando porque já passaram e te ajudam, porque um dia já foram ajudados por outros brasileiros.
Aqui moro com mais 6 num apartamento de 2 quartos. Apertado??? Sim, ainda mais com apenas um banheiro... Mas a situação é provisória... Tem 2 saindo, então seremos apenas 5...
Esses são os que me acolheram (eu e a Dani) e os que sempre fazem de tudo para que eu me sinta bem. À noite, quando é o momento mais difícil, que bate a saudade do colinho da mãe todos se reunem por uma boa causa, sempre fazedo jantinhas e tomando uma cervejinha para alegrar o ambiente.
Enfim, não é uma família perfeita, mas agora é minha família e eles me fazem muito feliz!

9 de out de 2009

acho que jamais me acostumarei com a mão inglesa
um descuido e plaft! esmagada
sempre olho para os dois lados da rua, afinal, nunca sei de que lado vem o carro mesmo

8 de out de 2009

e viva a oktoberfest e os bêbados que deixam seus copos de 5 euros para trás para que nós possamos beber de graça rsrsrsrs

7 de out de 2009

Bem, nunca achei que veria tanta gente diferente no mesmo lugar.
Aqui em Dublin tem muito estrangeiro: coreano, italiano, francês, tailandes, indiano e óbvio, muito brasileiro.
Na rua nota-se nitidamente quem é quem, até porque os irlandeses são muito diferentes de todos. Brancos com suas peles bronzeadas artificialmente, pele maltratada, a maioria fumando, dentes feios e as mulheres altamente maquiadas.
As roupas são bonitas na grande maioria, sempre tem os fora da casa e muito fora da moda, mas no geral, atrae os olhos.
Casacos compridos, coloridos, saias, meias calças e muitos lenços e mantas.
O pessoal daqui parece que não sente frio.Pela manhã saio toda encasacada e vejo as gurias de pernas de fora, me dá frio só de olhar!!!
Estranho ouvir vários sotaques e várias línguas pelas ruas também.
Na minha sala tem brasileiro, italianos, turco e coreano... Nossa! Confusãoooooooooooo

6 de out de 2009

Bem, em meu quinto dia em Dublin, descobri porque há o boato de que o pessoal do lado de cá não toma banho, vou dividir com vocês!
Primeiro, a lenda para conseguir um banho quente é grande, você liga a torneira e analisa se a água está quente, se não estiver, ligue o aquecedor e espere 15 minutos... O problema é que até você aprender isso você tira toda a roupa antes de tudo, se enfia debaixo do chuveiro e só após estar todo molhado com uma deliciosa água quentinha (afinal, você estava molhado da chuva e água quente era o que mais queria no momento) é que a água começa a amornar amornar, até ficar completamente fria. Putz! Enrola-se na toalha e grita para alguém lugar o aquecedor para você... Aí o que fazer molhado nesses quinze minutos? Vai da criatividade de cada um.
Segundo ponto, dependendo do horário e de com quantas pessoa você mora, melhor não demorar no banho, pode dar briga.
Terceiro ponto, na minha opinião o ponto crucial: falta água em Dublin. Então conclui-se que, se não tem água, impossível o banho, se tem, é no mínimo difícil!!!

3 de out de 2009

Bem, achei que as primeiras experiências no exterior seriam piores do que foram...

Avião enorme, 500 lugares, comida boa... Mas cá entre nós, 12h dentro de um avião, por melhor que seja, é um saco!

Até que desembarcamos em Frankfurt/Alemanha... Uau, o que se pensa de prima? CEVA!

Que ceva o que! Tudo muito caro, coisa de 6 euros um chopp, fiquei de bico seco.

Ligar para o Brasil a cobrar não existe, então me conformei em pagar, só não sabia que seria o custo de 2 euros por 5 segundos. Sim, você leu 5 segundos!

Foi o tempo de dizer “mãe estou na alemanha te ligo mais tarde, bjo”

Aí a lenda procurando algo para comer... Nada que chamasse a atenção... Morri no MC básico de sempre.

Ta mas e aí, 6h parada no aeroporto não passam tão rápido, um aero gigante com poucos atrativos. A solução foi dormir no salão de embarque e acordar num suador danado achando que perdemos o vôo.

Ufa, acabou a monotoia, vamos embarcar...

Próxima parada Dublin/Ireland