24 de nov de 2011




sumiram as nuvens carregadas
e hoje pode-se ver os problemas desaguados
correndo bueiro abaixo
lavando as pegadas de quem passou

agora tudo faz-se limpo
para o sol brilhar mais uma vez
no dia-a-dia dos mortais



em um papo qualquer de academia esses dias (com um homem e uma mulher) me disseram que algumas pessoas são um pouco lentas para identificar os 'sinais' que nós mulheres damos quando estamos interessadas em alguém. que nossos sinais não são claros o suficiente.

eu duvido! d-u-v-i-d-o com todas as letras que os homens não entendem! homem não é burro não, aliás, alguns são muito espertos. demais até eu diria.

a menina convida o cara para sair a troco de que? para ter um homem ao lado queimando seu filme na balada? #não
a menina perde seu tempo mandando mensagem no celular porque? nada melhor pra fazer? #não
a menina é super querida, carinhosa, prestativa porque quer ser madre tereza de calcutá? #não
pra mim, homem que não 'percebe' a atenção recebida é porque está querendo levar em banho maria, até que nada melhor apareça.

eu sou do tempo que homem interessado procurava, ligava, convidava pra sair e tudo mais. 
então meninas, se ele não ligou, melhor. assim a linha não fica ocupada para o que realmente interessa. e você abre seus olhos para a realidade.
e não venha me dizer que irlandês é lento. eles não é cautelosos, só procuram quando você é realmente quem eles querem.

e depois que você ficou uma semana sem procurar ele perguntar "por que você sumiu?" responda claramente "pelo mesmo motivo que você". HA! e não adianta fazer a carinha fofa de cachorro que caiu da mudança dizendo "ah eu estou trabalhando muito".

nem tudo na vida pode ser levado em banho maria. relacionamentos principalmente. (ou a tentativa do mesmo). acordemos!

22 de nov de 2011




e do mesmo jeito que veio, se foi. deixou para trás um vazio infinito, nem se importou com quem sobrou.
avassalou tudo e sumiu como se nunca tivesse passado por aqui.
doeu, e ainda dói às vezes. não é fácil aceitar a condição de isolamento.
aquele desejo morreu, do mesmo jeito que nasceu. subitamente.
e levou junto, a metade do coração. só para não deixar esquecer que, um dia, aquilo foi tudo o que sempre quis. bagunçar.



21 de nov de 2011

- um milkshake de baunilha por favor.

- desculpa, mas não temos de baunilha.

- e que sabor tem?

- oreo, milkbar, malteasers, caramelo e morango.

- ahhhh não tem baunilha mesmo?

- não senhor, desculpa.

...


ele pensa por alguns minutos olhando para um cartaz enorme com o nome e a foto de cada sabor e me responde:

- me vê o de baunilha então.

e eu achava que isso só se via acontecia com o chaves...
para quem não lembra do episódio, clica aqui ó: não tem biscoito

20 de nov de 2011


mulher é um bicho muito burro mesmo. e eu tenho que admitir, sou mulher e não sou diferente. a gente vai passar a vida errando e não vai se dar conta que a teoria da conspiração existe e pior que isso, funciona.

a gente passa a semana inteirinha com o celular grudado, cuidando para a bateria não acabar, fica olhando para tela de 2 em 2 minutos esperando chegar aquela tão sonhada mensagem do príncipe encantando convidando para jantar a luz de velas. e aí a gente olha, olha, olha e... nada. óbvio!

cansada de esperar, você marca uma baladinha com as amigas e esquece o celular dentro da bolsa, nem dá bola, afinal, o príncipe encantado talvez nem tenha seu número mesmo.

e o que acontece? no outro dia, às 5 da tarde, com aquela ressaca terrível e aquele gosto de guarda-chuva na boca você pega o celular para ver que horas são, e o que tem lá? 20 chamadas, mais 10 mensagens, todas convidando você para sair, para ter aquele date dos sonhos.

aí eu penso "se ele quiser, ele que ligue de novo" e ele nunca mais liga...






eu não gosto de dias escuros, especialmente domingos escuros. nunca gostei, nem lá e nem aqui. não me sinto à vontade com a ideia de que é o último dia da semana. o último de qualquer coisa é muito triste. parece que o que era pra ser foi, mas nesse caso não foi. parece que falta um pedaço, está incompleto. sinto que falta um pedaço de mim que se perdeu por aí... e não tenho onde procurar esse pedaço. não posso me encontrar nas páginas amarelas como um classificado. não tenho como encontrar o que não se sabe que é perdido. não se pode viver o último dia da semana como se fosse o último, semana que vem tem mais um. e de novo e de novo...



16 de nov de 2011



tem quem goste de loiro, tem quem goste de moreno. alto, baixo, gordo, magro, sarado. cabeludo, meio cabelo, careca. barbudo, bigodudo, carinha de bebê.  inteligente,  nerd,  engraçado, chato.


eu gosto de homem... de relógio.
e gosto não se discute.

15 de nov de 2011

lembro que quando eu cheguei aqui na irlanda eu tinha que olhar para os dois lados da rua antes de atravessar, pois nunca sabia de que lado vinha o carro.


hoje em dia, olho para o lado certo e já sei o timer do semáforo.
sei para onde os ônibus vão, onde ficam algumas ruas, os bairros legais e os meia-boca.
sei onde tem o café bom, o café ruim, o muffin de raspberry com chocolate branco. 
sei onde vende o chá aromatizado, onde tem o pub bom, a cerveja barata, a banda animada e as jarras de cerveja.
sei de cabeça os eventos do mês, as comemorações irlandesas e já entendi como funciona o rugby.
conheço as celebridades locais e acompanho as revistas de fofoca.
sei quando vai chover, quando vai esfriar e sei que qualquer conhecimento a respeito de temperatura é perda de tempo.
sei de que lado a lua está sem mesmo olhar para ela. consigo identificar quando o trem está chegando sem mesmo ouvir barulho ou vê-lo.
sei quantos degraus tem a escada da estação, quantos segundos leva para comprar um ticket, conheço os fiscais do trem, os funcionários do shopping e os preços dos alimentos.
sei o melhor lugar para sentar no trem, sei os atalhos para chegar mais rápido e sei os atalhos para agradar os olhos. sei identificar quem é irlandês, polonês, indiano, maurício e brasileiro, óbvio.


assim, sigo sentindo-me em casa...
eu tenho que confessar que eu admiro a força de vontade das pessoas bem dispostas que ficam correndo no canal que tem aqui perto de casa, a noite. e pior do que correr a noite, é de manhã cedo. quanta disposição. enquanto isso, eu fico cansada só em olhar.
pena que eu não consigo emagrecer olhando eles fazerem esse esforço todo. mas engordo fácil só em pensar em um belo e gorduroso pastel.

desde que mudei de apartamento, comecei a ficar 'meio' motivada por esse povo todo, e me matriculei na academia. e pasmem, eu estou frequentando a academia.
eu tinha esquecido como isso é bom, se exercitar. o problema é que os resultados demoram, então eu continuo sonhando que acordo magra, uma vida pura e sem gordura.