31 de jul de 2011

esse final de semana, voltando para casa após uma noite meio falhada fraca, decidi que iria fazer o bem sem ver a quem. e você já deve saber que as piores idéias são sempre minhas, né?
pois eis que o felizardo de tanta bondade foi um bêbado.
o coitado não sabia nem quem ele era, de tão bêbado que estava.
estava caminhando em zig-zag no meio  da rua li-te-ral-men-te.
ai pensei cá com meus botões "esse cidadão vai ser atropelado".
atravessei a rua meio que empurrando ele para a calçada. não sei nem como ele conseguia caminhar, porque, assim... falar ele mal conseguia.
ai o nosso papo:

- tu mora onde?
- nesse prédio aqui
(e pense que o prédio tem umas 10 portas)
- qual o número?
- é nesse prédio.
- sim, já entendi, mas preciso que tu me diga qual o número.
- é a porta vermelha
(ah sim, no prédio tem 3 portas vermelhas)
achando a bendita da porta, larguei ele la na frente meio que se balançando (ou dançando).

- você tem a chave?
- é na porta vermelha.

ai, nesse momento me perguntei "por que resolvi ajudar mesmo?"
graças ao bom senhor uma moradora do prédio estava chegando em casa (sóbria) e carregou o jovem.
já fiz a boa ação do ano né?
agora jovens, bebam menos.

30 de jul de 2011



eu queria poder com palavras descrever o que sentia 
ao dirigir à noite em porto alegre, 
voltando para casa pós alguma coisa com amigos.

senti isso aqui, voltando sozinha e a pé;
era calor, sem vento e a água estava parada.

na boa, tanto faz explicar,
me basta fechar os olhos e sentir.

28 de jul de 2011

sábado passado decidi mais uma vez entrar em uma reeducação alimentar (não gosto do peso da palavra dieta) e decidi também fazer exercícios...
bem, sábado e domingo trabalhei e comi no kfc - final de semana fail;
segunda decidi correr de manhã, mas acordei as 4 da tarde;
terça resolvi ir para a cozinha;
quarta até que me comportei direitinho;
mas aí veio a quinta e a cerveja;
e a sexta-feira off.
o resultado é que já é final de semana de novo e eu deixei a dieta de lado.
as férias batem na minha porta segunda-feira e eu como fico?

gorda.



por quê?
por quê?
por que eu gosto tanto de quinta-feira?

não sei, mas é tão bom...



26 de jul de 2011

algumas pessoas tem uma visão errada do que é minha vida em dublin.
ela lhe parece perfeita porque tiro fotinhos bacanas em festas cheia de gente diferente (pra não dizer estranha)?
lhe parece perfeita porque é 'europa'?
lhe parece perfeita porque aparentemente faço o que bem entendo da vida?
pois se você pensa que isso aqui é férias, bem... lamento desconstruir sua visão mas isso aqui não é férias, mas é quase paraíso, se não fosse algumas falhas.
é bom? para mim é maravilhoso, pois vivo uma coisa que sonhei por anos e anos.
mas esse sonho, apesar de maravilhoso, não é 100% alegria.
eu tenho um subemprego, correria, trabalho braçal, aguento indiano gritando no meu ouvido o tempo todo, gente mal educada e fedida (e quando falo em fedido, pode colocar aí todas as nacionalidades), porque o que não falta no meu dia-a-dia é cliente que 'esqueceu' do banho... a semana inteira.
aqui eu não tenho carro, ando a pé, ou de ônibus ou gasto boa parte do meu salário suadíssimo em táxi. tudo bem que o táxi aqui é bem mais barato que no brasil, mas mesmo assim. embora viva na europa, estou longe de ser rica.
conheço muita gente aqui, mas muita gente mesmo, de tudo que é canto do mundo. mas amigos de verdade... bem, esses estão lá no brasil. tenho uns 2 ou 3 amigos aqui, que sei que me ouvem quando eu preciso... mas sabe quando você recebe um abraço e/ou um carinho sem precisar? simplesmente porque a pessoa te ama? pois bem, esse abraço e/ou carinho só tenho no brasil.
aqui não tenho comidinha de mamãe, nem mu-mu, nem pastel gostoso, nem quindim, nem canudinho nem mais uma lista gigante de comidas gostosas, que se eu for escrever tudo aqui meus leitores, das duas uma: ou vocês ficam com fome, ou param de 'me' ler.
sabe o domingo de sol na redenção? eu não tenho aqui, até porque, sol não tem todos os dias e domingo pra mim é como segunda, dia de trabalho.
aquela coisa de "passa o café que to chegando aí" não tem aqui, pois todo mundo tem um horário louco e dificilmente o meu horário casa com o de alguém. salvo raras exceções que não trabalham e tem todo o tempo do mundo para passar café pra mim.
sabe aquela coisa de sentar num bar, cerveja gelada e ouvir aquela música mpb só com voz  e violão? aqui não tem isso e eu sinto uma saudade absurda! é uma das coisas que eu mais gosto nesse mundo.
sabe aquele lugar para dançar um samba-rock? não tem!
aquela festa anos 80 forte? não tem (claro, encontrei lugares bem bacanas, mas nada igual).
dose dupla? nem pensar.
festa que acaba de manhã? hahaha piada né!

aí você me pergunta o porque eu continuo aqui, certo?
porque eu estou descobrindo um mundo novo que eu não tinha e nem terei lá...
e esse mundo é tudo o que eu expresso de bom aqui no blog... o mundo onde aprendo coisas novas todos os dias e o mundo onde me sinto viva.


saudades... saudades... sempre terei saudades e boas lembranças de casa.
sabe aqueles dias que você não quer sair da cama por nada nesse mundo? que não importa quão lindo o dia está, você implora a são pedro por chuva, para não ficar com peso na consciência de não fazer nada o dia todo?
pois bem, eu tenho muito desses dias e a última invenção que tive para afastar esse desânimo todo foi cozinhar. é meu amigo, cada um brinca como pode.
então... eu adoro comer, mas cozinhar (como já devo ter falado antes) nunca foi meu forte.
agora que eu preciso cozinhar - ou então vivo de pizza,-  decidi fazer umas coisinhas diferentes e a bola da vez foi cupcakes.
eu não sabia por que os cupcakes fazem tanto sucesso por aqui, está super na 'moda' essa onda de bolinhos.
foi que resolvi por a mão na massa e fazer os meus próprios cupcakes HA!. e devo informar os famintos de plantão que ficaram muito bons (ou o pessoal aqui de casa estava com muita fome).
peguei uma receita qualquer na internet e fui à luta.
é rápido, fácil, barato e não requer nenhuma habilidade, é pura tapeação.


23 de jul de 2011

e sobre o post anterior... esquecer quem se ama.
não esqueço quem eu amo, nem os que amei. não esqueço porque não quero, porque acho que não devo.
se o amor foi por muito... pouco... tanto faz o tempo, existiu porque teve algo de bom.
se não durou foi porque não era para ser assim, e confesso sentir saudade de todos os meus ex amores; em um momento ou outro nos remetemos à lembranças saudáveis.

nunca desalojei nenhum do meu coração.

eu já não sou mais deles e eles a mim não pertencem, o amor não acabou, só mudou de homem/mulher para amizade. as boas recordações serão eternas.

22 de jul de 2011

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? 

As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar. 
É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução. 
Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha. 
Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado. 
O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'.




às vezes sinto algo que não sei nem se é bom, nem se é ruim. 
aí fico assim, que nem uma idiota tentando me entender.




20 de jul de 2011

eu sou a favor do metrossexualismo.
sim, e esse assunto tem rendido boas críticas cada vez que falo isso.
o homem, na minha opinião, tem que ser vaidoso sim. tem que se arrumar, se cuidar, fazer a barda, usar roupas limpas, unhas cortadas, etc etc.
aí você vem me dizer que isso tudo é 'normal' e comum. desculpem-me mas o que tenho visto nos lados de cá é bem diferente.
super comum é ver um cara de tênis branco (ou que há 5 anos era branco) e dizer "esse é meu tênis novo".
ou aquelas calças longas arrastando no chão e varrendo as ruas. homens sem banho, suados, cabeludos, barbudos, no que antes chamávamos de 'estilo sujinho', alternativo e tal agora é nojento... eca!
quer usar barba por estilo? ótimo, é bem bonito para alguns, mas por favor, não basta só deixar a barba crescer como no tempo das cavernas. usa o barbeador/gilete/cera ou qualquer produto de sua preferência e apare as laterais e a parte de baixo quase pescoço.
sou a favor da depilação masculina! mulher tem que tirar todos os pelos por questões de higiene, certo? então homens, sejam higiênicos também, ora bolas. desconheço mulheres que gostem daqueles pelos se enrolando no dedos quando fazem um carinho nas costas do amado. no peito se for pouco até rola, mas p-o-u-c-o! axila pode depilar sim, sua menos, cheira menos e não mata ninguém. cabelo, acho que nem preciso falar né, cortado e limpo. pode ser o estilo bagunçado, alinhado, lambido... mas limpo!
aquela roupa de 10 anos atrás já não é mais moda nem compatível com a sua idade (sim, o tempo passa e rápido) vá as compras! acessórios como relógios, bonés, chapéus, lenços, anéis, piercings e tal são bem vindos, desde que combine com o estilo de cada um. não inventa em usar um moleton com calça social que isso me mata (ou no mínimo causa pesadelo).
conheço meninos que usam corretivo para tapar as olheiras e confesso adorar, funciona e se usar a cor certa fica super discreto e natural. afinal, a gente nunca quer parecer cansada, nem ver gente cansada na volta, né?
use perfume e desodorante sem cheiro, ou que seja pelo menos compatível com o perfume. sem essa de usar ou um ou outro, ou aquele 'azavon' que a vizinha te forçou a comprar dizendo que era super bom.

então meninos, cuidem-se! vocês não vão ficar menos homem por isso, mas sim mais bonitos.

19 de jul de 2011

18 de jul de 2011

gosto de ler, fato. mas nem sei onde fica a biblioteca.
gosto de ler, um pouco. compro livros, porém leio os emprestados.
não que eu leia artigos intelectuais e nem sei se tem alguma coisa a ver com isso tudo, mas sou uma mulher prática e, salvo raras exceções, dispenso o que seja demasiado sem sentido para mim. isto tudo, porque lembrei-me no outro dia como os pequenos pormenores fazem a diferença e que parei de ler uma história mamão com açúcar há algumas muitas semanas.

você nunca soube ler. ou nunca soube entender o que lia. também nunca se interessou nem por um, nem por outro. bons eram os tempos em que liamos (ou fingíamos) juntos; livros enormes, infinitos... para jamais sair um do lado do outro ou debaixo daquela árvore. naquele momento ninguém falava, ninguém ria, ninguém se movia. um breve suspiro em conjunto. 


só agora que encontrei teus resquícios, teu livros, teus rabiscos e tuas cartas de amor escritas à mão. cheiro de nostalgia no ar. lembro-me de quando pedias à tua irmã para escrever já que tua caligrafia era ilegível. tu lias e eu ouvia-te com atenção. de início parecia nem saberes ler, criava tudo ao momento da fala olhando para um pedaço de papel em branco.
e sabes quando percebi? quando tu falavas e olhavas em meus olhos.


não lembro de muita coisa, mas fiquei com essas memórias de pequena, em que o cheiro dos livros velhos me deixava encantada.

queria apenas sorrir para ti, com um olhar tímido e bochechas rosadas, a enrolar o cabelo, para que logo me dissesse "larga o cabelo, que estás a enrolar a vida". e se naquele tempo soubesse o que sei hoje, bem que teria te  dado ouvidos. e que possas tu sorrir para mim (algum dia), agora que leio todos os dias e que te posso escrever.

um dia volto àquela árvore...

17 de jul de 2011

.
.
.

"Descobri como é bom chegar quando se tem paciência. 
E para se chegar, onde quer que seja, 
aprendi que não é preciso dominar a força, 
mas a razão. 
É preciso, antes de mais nada, querer."
Amyr Klink.

.
.
.

14 de jul de 2011

ou fui eu, ou as coisas mudaram... para melhor.

o emprego de merda já não parece tão ruim. a correria do dia-a-dia, o gerente maluco, os colegas mau-cheirosos e o fato de ter que limpar tudo no final já não é mais tão sofrido.
e aquela raiva de ficar onde não se quer já não é tão forte e o sorriso agora até sai espontaneamente.

a suavidade no tom de voz brotou sem explicação e um quê de serenidade exala no ar, contagia à todos e faz com que olhos antes não analisados sejam agora  descobertos.

o trem não é lotado, e já não chove mais; as frutas têm sabor e o dinheiro nunca acaba; o cansaço não é o principal comentário do dia; o energético não é a principal bebida do dia; a cerveja não é a principal bebida da festa; a chapinha já não é a melhor amiga e a desorganização teve quase um fim.

saudade? imensa sempre! mas é como se a conexão fosse muito maior agora com quem de fato é importante.
vontade de ir, vontade de ficar...

amor? só os platônicos, e esses são bem bons assim.

vamos combinar que não existe nada mais desanimador do que homem que não sabe dançar.
e aqui em dublin é muito comum ver homens que não sabem nem se balançar!
o que eles sabem fazer é segurar copos de cerveja e ficar caindo por cima de meninas bonitas.
aí pensa no meu tédio sair com alguém assim, eu louca para me sacudir toda e o cara ali, que nem uma taquara parada,
t-r-i-s-t-e demais!
foi então que decidi sair em lugares alternativos aqui, onde tem gente que vai só para dançar e nada mais.
lugares onde nem o barman fica parado e cá entre nós, isso da uma super mega animada no ambiente.
e vou te contar que, além de me apaixonar fácil, me apaixono super fácil por um belo dançarino e que dançar não faz do homem menos homem, mas sim torna-o muito mais interessante. (no meu ponto de vista).
e fica a dica "dance bem, dance mal, dance sem parar, dance até sem saber dançar"

13 de jul de 2011

.
.
.

quer me ver de faxina?
é só me deixar brava
fico mega disposta a fazer o bem
 (aos seres da mesma casa)
 e coloco para fora tudo o que há de ruim dentro de mim.
resultado? tudo limpo e organizado.

.
.
.

10 de jul de 2011


"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando achar necessário. Alague o seu coração de esperanças, mas não se afunde nelas.

Se achar que precisa de voltar, volte.

Se achar que precisa de seguir, siga.

Se estiver tudo errado, comece novamente.

Se estiver tudo certo, continue.

Se sentir saudades, mate-as.

Se perder um amor, não se perca.

Se o achar, segure-o! "


Fernando Pessoa

8 de jul de 2011

“- Ela é tão livre que um dia será presa.
- Presa por quê?
- Por excesso de liberdade.
- Mas essa liberdade é inocente?
- É. Até mesmo ingênua.
- Então por que a prisão?
- Porque a liberdade ofende.”

[C. Lispector]



acho até que além de ofender, assusta.
percebo que, a pessoa muito livre assusta as pessoas presas e oprimidas.
algumas tem medo de fazer X coisa por medo de ser julgado.
ou até mesmo essas pessoas afastam-se de nós por medo, medo de nós, da nossa liberdade e leveza.
não podemos ter medo. 
penso que, no século XXI o que nos resta é viver intensamente e sermos leais. leais a nós mesmos e ao próximo.
parece meio clichê isso? não para mim.
sempre uso a frase "tudo de bom acontece às pessoas de disposição alegre" do voltaire, e me diz, o que mais te deixa alegre do que ser e fazer o que bem?
não prejudicando ninguém, tudo vale.
sejamos felizes, porque se vive só uma vez!

3 de jul de 2011

.
.
.

fui demitida!
mas tudo bem, 
ganhei uma caixa de bombom 
(bela consolação)...

.
.
.

2 de jul de 2011

não sei quando me apaixonei, mas sei que foi há muito tempo!
eu devia ter uns 12 anos, pouco mais talvez... foi quando comecei a ouvir quem quem quem??? ele, o bom bon jovi!
foram anos e anos dormindo com ele, (eu na cama e ele colado na parede), mas já estava valendo né? afinal, eu era uma criança ainda...
amor a parte, essa semana aconteceu o que me parecia ser muito distante: assistir ao show do meu amadinho.
morar na europa, rodar o mundo, aprender novas línguas e culturas é muito muito muito fácil, difícil é ver o amor da minha adolescência ali, na minha frente, cantando apenas para mim.
sim, pois no momento que ele colocou seu lindo corpinho (ainda lindo) no palco foi como se toda aquela multidão de irlandeses tivesse desaparecido! era o mínimo que podia acontecer com uma pessoa que guarda um disco de vinil do moço em questão (e o toca discos que é bom nem tenho).
cada centavo investido para vê-lo valeu mais que a pena. foram praticamente 3h de show sem parar. e vamos combinar que, para um coroa de 49 anos, cantar e agitar a galera por quase 3h não é para qualquer um, tem que ser muito bon jovi mesmo!




de tudo o que já fiz nesses 27 aninhos de vida, curtir esse show foi uma das melhores coisas!
foi tudo perfeito, as músicas, a animação do povo, são pedro que colaborou sem chover muito e teve até arco-íris. que mais eu podia querer? ah sim, podia querer muito né? mas tudo bem, quem sabe na próxima...


1 de jul de 2011

contrariando todas as minhas rezas e promessas de de que só me mudaria desse apartamento se fosse para o brasil, estou de malas prontas, rumo ao novo apartamento.
por que eu tenho que ser uma mulher consumista?
eu cheguei na irlanda há quase dois anos com duas malas de 32kg cada e hoje minha mudança consiste em:
5 malas de 32 kg estourando, umas 7 caixas com coisas de cozinha, livros, sapatos e uma mochila.
tipo assim, já dei muita coisa para a caridade... como consigo juntar tanto?
tudo bem que as coisas aqui são baratas e tal, mas podeia ser menos né?
está na hora de começar a vender ao invés de comprar!