27 de dez de 2012

no dia chuvoso ao som de Fun... 
http://www.youtube.com/watch?v=Sv6dMFF_yts

das recordações:

hoje acordei em dublin. 
a chuva silenciosa que caía do lado de fora da janela me fez viajar muitos mil quilômetros. me fez aterrissar de volta à um lugar mágico onde fui feliz por muito tempo. o vento forte me fez lembrar de como aproveitei muitos dos meus dias chuvosos e ventosos em casa, de pijama o dia inteiro, apenas curtindo meu travesseiro, minhas almofadas peludas, meus seriados preferidos, meu celular no silencioso e um improvisado pão de queijo com aquele cafezinho preto no final da tarde.
a temperatura amena me proporcionou usar o edredom sem precisar ligar o ar-condicionado. a sensação de um friozinho a minha espera lá fora me encheu de vontade de não sair... compromissos cancelados, felicidade garantida.


das mudanças:

o que é bom a gente nunca muda. 

13 de dez de 2012

eu, uma mulher completamente apaixonada por cabelos compridos, devo confessar que durante muitos anos eu tive aquele "complexo do cabelo feio".

sim, meu cabelo já foi extremamente feio, mais feio do que a imaginação humana consegue imaginar.
era uma mistura de cabelo crespo + liso + ondulado + ruim + seco = desespero total.

na época, além de ter um cabelo feio, não tinha bom senso em arrumar ele e muito menos os produtos necessários para tratá-lo.

como se não bastasse isso, eu ainda tinha pânico da minha testa enorme; e quando digo enorme, leia e-nor-me-mes-mo!!!!

acontece que, mesmo os anos passando, o cabelo alisando naturalmente (sei que niguém acredita, mas eu não tenho progressiva, nem relaxamento, nem macumba no cabelo, ele alisou por vontade própria) eu jamais prendia ele. eu de cabelo amarrado era tão feia quanto de cabelo solto. e aí aquele cabelo ia grudando no pescoço, nas costas, ia enrolando no braço... caos total!

até que eu aprendi que cabelo amarrado é vida nesse calor insuportável aqui de porto alegre e que a satisfação diária é comprar presilhas de cabelo bem diferentes e me sentir livre de cabelo indesejado grudando ...

a testa? é óbvio que diminuiu... ou você acha que eu não enxergo direito??
eu sou quase a mesma, mas meus cabelos... quanta diferença!


5 de dez de 2012

e aí que eu passei três anos pensando em quem aqui estava, em quem eu havia deixado para trás sem mais nem menos. pensava no que estavam fazendo, onde estavam indo, com quem estavam se relacionando/namorando/casando...

todos os anos eu mandava cartões de natal, ligava, mandava mensagem, conversava no facebook, raras vezes no skype... aí me modernizei com o whats app e o viber. a comunicação aparentemente se tornava mais fácil. eu, aparentemente, estava conectada com aqueles amigos de anos e imaginava que nada mudaria, independentemente de quanto tempo eu passasse fora.

pois bem, me enganei.

não que esses amigos de anos não sejam mais meus amigos, são sim! mas eu acho que caímos na rotina da comunicação semanal/mensal e de não nos vermos nunca. mal vejo meus amigos hoje. eles sabem que estou aqui, eu sei que eles estão ali e fica por isso mesmo, um contrato de péssimo senso de cada um seguir sua vida como estava seguindo até agora.

o problema é que minha vida hoje não é mesma que tinha mês passado e os outros... bem, os outros... eles seguem vivendo. trabalhando, cuidando de casa, de marido/esposa e similares, de filho, carro, faculdade. cada qual no seu quadrado.

e eu sigo no meu redondo achando que o mundo dá voltas e que a gente passará pelas mesmas pessoas novamente. agora pensando nos amigos que deixei para trás, sem mais nem menos, de novo...