22 de jan de 2011


não precisa me conhecer muito para saber que eu sou completamente apaixonada por café, e isso não é de hoje.
acho que começou com minha mãe e o cafezinho pós almoço, ou com as amigas que marcavam a fofoquinha semanal em alguma cafeteria de porto alegre.
e com certeza esse pequeno apreço só aumentou aqui em dublin. tanto pela facilidade de comprar o pretinho básico de cada dia como pela variedade (em sabor e preços).
uma das minhas primeiras compras - e de grande utilidade - foi uma cafeteira. aí você que não é fã da cafeína pode pensar que é bobagem, mas não é não! aqui tem muito café solúvel e vende que nem água. para mim, isso é uma ofensa ao ser humano e me recusei a me rebaixar a tal nível.
pronto, cafeteira comprada, faço meu café todas as manhãs (pelo menos as manhãs que não acordo atrasada).
aí, como quase sempre estou atrasada, e no caminho entre minha casa e a escola deve ter no mínimo uns dez coffee shops, decidi experimentar todos. sim, t-o-d-o-s, e porquê não?
entro, peço um café e analiso atendimento, preço, qualidade, aroma... enfim...
até que essa mania prazerosíssima foi aumentando para os cafés no caminho para o trabalho, para a casa do amigo a, b e c, no caminho do pub, no caminho de qualquer coisa!
quem sabe até o dia de ir embora eu tenha experimentado todos, não é?
afinal, embora alguns descordem, gosto mais de segurar uma xícara de café do que uma pint de guinness.

Um comentário:

Fernando Botelho disse...

E então? Até agora, qual foi o melhor café que você tomou levando em consideração todos os seus critérios analíticos? rs

Beijo!