13 de mar de 2012

eu não costumo muito falar sobre o meu trabalho (um fast-food de frango frito), uma vez que não gosto muito dele. mas acho que tem coisas que vale a pena  dividir, por exemplo...

tem um cliente que sempre vai lá e fala exatamente a mesma coisa:
- que sorriso bonito. de onde você é?
- brasil
- ahhhh braziiiiillllll. bom dia!
segue o baile, ele faz o pedido e no final larga o clássico 'obrigado'.
ele é muito simpático, mas será que ele não lembra que já me perguntou isso mil vezes ou ele tem um probleminha de memória? vai saber né.

tem uma senhorinha que compra sempre a mesma coisa e me pede zilhões de combinações que não existe... eu que sou bem cara de pau faço tudo o que ela me pede, e ela sempre muito sorridente, só vai no meu caixa. semana passada me deixou de presente um pacote de chocolate de páscoa. (sim, já estamos falando em páscoa há tempos aqui). achei muito fofo da parte dela.

tem também um grupinho de crianças chatas que sempre perguntam coisas absurdas do tipo, quantas calorias tem cada alimento. tipo assim, cada alimento mesmo, coisa por coisa. eu não sei nada disso né e achava um saco ficar respondendo. agora mudaram o cardápio e colocaram as calorias no menu, bem grande para todo mundo ver. pronto, as crianças nunca mais apareceram lá. para a alegria dos mortais trabalhadores.

mas isso tudo é normal demais... tem aquele doido que vai lá todo santo dia, me enche de pergunta (perguntas que ele já sabe a resposta) e não pede nada além do usual. tem o cara de pau que pergunta o preço de tudo e não leva nada; o que reclama sem parar, compra e sai reclamando mais ainda.

tem o cara que da porta já da pra sentir o fedor do perfume, sim fedor, porque ele usa demais. tem o cara do bigode rosa - eu disse r.o.s.a! o cara do celular dourado com pedrinhas rosas. (agora pense na decepção das meninas né, porque ele é lindo demais, e mais mulher do que eu). tem a mulherada que paga a conta, tem as crianças que escalam o balcão, tem os abusadinhos que dão uma cantadinha sem graça para ver se conseguem algo de graça e tem os legais, que ficam horas batendo papo e a fila crescendo atrás deles.

e eu acho que a coisa mais bizarra que já vi por lá (tá, talvez menos bizarra que o cara do bigode rosa) foi uma menina de metro e meio, de uns 100kg, moletom laranja, algumas unhas postiças azuis, outras unhas roídas, cabelo escabelado, extremamente maquiada, de cílios postiços (dos mais bregas com pedrinhas) e pior do que ser brega, era mal colocado. um batom rosa choquíssimo e... e... e?? com um crachá enorme dizendo "fulana de tal, demonstradora" em uma feira de beleza.

com isso, calo-me.

3 comentários:

Quel disse...

Morri! kkkkkkkkkkkkkkk

Karina disse...

Demonstradora de feira de beleza, com esse estilo? Morro e não vejo tudo. Você tinha que acoplar uma câmera fotográfica no seu caixa e registrar essas coisas.

Charline disse...

Eu sou a cara de pau!! kkkkk
Só pra judiar com vc!!! ;))
Ri mtooo!!