31 de mar de 2010

sempre há espaço para o sentir,
sem julgar, sem condenar
o sentir que não se explica,
que não se compreende,
que é irracional e burro
aquele sentir que apenas se vive,
saboreira e não enoja
peço desculpas,
sim
e me volto a um mundinho de máscaras e fantasias
pois aqui não tenho os abraços despretenciosos
nem o amor verdadeiro
desapego e desprendimento:
essas seriam as palavras certas


[certas que nunca deveriam ser usadas]

Nenhum comentário: