1 de nov de 2010

se eu tivesse um canudinho, eu chupava você, pra dentro do meu mundinho, pra comigo viver... pra comigo viver...



opa! meu mundinho nada! meu mundo é meu, só meu, todo meu!
é... assim mesmo, do tipinho bem egoísta! (a menos que você queira muito muito fazer parte dele)
a gente sempre insiste em querer trazer as pessoas para o nosso mundo, mostrar coisas diferentes e na maioria das vezes isso é em vão. de tudo que já vivi, de tudo que dividi e de tudo que eu tentei ensinar, percebo que poucas coisas foram absorvidas pelos demais.
algumas pessoas parecem não ter sentimentos, parecem não se emocionar com as coisas bacanas à volta, com os fatos inusitados e com as atrapalhadas do dia-a-dia. é como se tudo fosse a mesma coisa, choro/riso/dor/alegria. que coisa mais sem graça!!!
ultimamente tenho ficado mais calada e escutado mais. e vou te dizer, é assustador!
como me disse semana passada minha irish mother "algumas pessoas guardam suas coisas em gavetas, simplesmente abrem uma, jogam você lá dentro e agem como se nada tivesse acontecido, como se aquele dia tão especial fosse mais um dia banal, como se tua alegria não significasse nada e como se aquele amor tão grande amor nunca tivesse existido."
quando ela me disse isso, pensei que "ah, não significa que por que uma pessoa me jogou na gaveta todas sejam assim", ai ai ai cristiane veiga, grande ilusão a sua!
continuando no lance de ouvir, descobri que as pessoas são assim mesmo, com gavetas. por isso não sofrem, sabem administrar muito bem as coisas, jogam tudo lá dentro e já era.
e eu... eu realmente não sou desse mundo pois, mesmo eu tentando jogar tudo nas gavetas, sempre dou uma espiadinha pra ver se tá tudo bem.

pois bem, as gavetas do meu mundo estarão sempre abertas, mas não convidarei ninguém.

Nenhum comentário: