6 de abr de 2011

sabe aqueles dias que os nervos estão a flor da pele? que tudo e qualquer coisinha insignificante te irrita e te faz chorar?
pois bem, esse dia foi hoje...
estava tão sentimental que me indignei com o colega que se recusou a pegar o pedido de uma pessoa suja, fedida, velha e vesga. vem cá, quem o colega pensa que é, rei da cocada preta? nem ele toma banho!
estava tão sentimental que mandei algumas pessoas tomarem naquele lugar, mesmo que em pensamento. (e tenho que confessar que me senti bem mais leve).
tão sentimental que chorei como criança, mas que pela primeira vez em um ano e meio, tive um colo verdadeiro para isso;
tão sentimental que fiquei feliz ao sentar no cordão da calçada e esperar o ônibus curtindo um sol às 19h30 da tarde... ou noite;
tão sentimental que não me importei em comer demais... nem em beber demais;
tão sentimental que expus minha vida aos amigos sem medo de pré-julgamentos;
tão sentimental que pensei nos momentos de fraqueza e comparei com os momentos de força;
tão sentimental que venho a escrever, que já estou melhor e que, embora o dia não tenha sido dos melhores, a noite foi sensacional.
tão sentimental que lembrei que meu lado sentimental é melhor quando racional, e que voltei a pensar mais e sentir menos, bem o contrário do que o app do facebook me disse para fazer hoje.
e que, mesmo meu melhor amigo dizendo que me admira pela força de tentar (mesmo sabendo que vou quebrar a cara), sei que esse é um defeito, mas é um defeito que levarei eternamente comigo.
vamos tentar mais uma vez! sem medo de tentar ser feliz...
sem essa de não tentar por medo de sofrer, por medo de errar, por medo de falhar.
como diz ele, o pior sofrimento é o da dúvida, a dúvida do 'e se eu tivesse feito'...

Um comentário:

Carlos Carreiro disse...

Que o novo dia apareca e que o sol ilumine mais uma vez o teu caminho. Simplesmente "pro dia nascer feliz".

bjs