25 de mai de 2011

.
.
.

não interessava a mim quem estava a nos olhar
nem o motorista do ônibus que que se dispôs a esperar,
tão pouco a chuva fria que nos molhava rapidamente.
só queria continuar sentindo aquele abraço
que parecia durar para sempre
mas que não passou de 15 segundos
de dor e lágrimas.
adeus...

.
.
.

Nenhum comentário: